Ações

O Acordo Setorial de Embalagens em geral prevê que o setor empresarial, observado o princípio da responsabilidade compartilhada pelo ciclo de vida dos produtos, e, para implementar o sistema de logística reversa, realizará investimentos em organizações de catadores de materiais recicláveis, com o objetivo primordial de aumentar a eficiência operacional, por meio de capacitações ou investimentos estruturantes. Além de compreender as instalações e operações dos PEV.

Para conhecer os detalhes das ações acesse o Relatório Fase 1 (item 2.2, p. 27).

Adequação e ampliação da capacidade produtiva das Cooperativas e Associações de catadores de materiais recicláveis nas cidades previstas na Fase 1

Viabilização das ações necessárias para a aquisição de máquinas e de equipamentos, destinadas às Cooperativas e Associações participantes da Fase 1

Viabilização das ações para a capacitação dos catadores, visando melhoria da qualidade de vida, da capacidade empreendedora, de gestão com visão de negócio e sustentabilidade

Fortalecimento da parceria indústria/comércio para triplicar e consolidar os Pontos de Entrega Voluntária - PEV

Compra direta ou indireta, a preço de mercado, por meio dos atacadistas/ou das recicladoras, das embalagens triadas pelas Cooperativas, respeitando critérios relacionados ao Sistema de Logística Reversa implementado

Atuação, prioritariamente, em parceria com organizações de catadores de materiais recicláveis, priorizando pagamento segundo preços negociados com base nos valores de referência de mercado, considerando o Sistema de Logística Reversa implementado

Instalação de PEV em lojas do varejo, de acordo com os critérios técnicos e operacionais estabelecidos no Acordo Setorial

Investimento em campanhas de conscientização com o objetivo de sensibilizar os consumidores para a correta separação e destinação das embalagens, podendo ser realizadas através de mídia televisiva, rádio, cinema entre outras mídias

Metas

A estruturação do Sistema de Logística Reversa de embalagens em geral tem significado nas ações conjuntas das empresas para a realização de benfeitorias, melhorias de estrutura e equipamentos, treinamento e capacitação em gestão administrativa e operacional.

Contempla todos os agentes da cadeia de responsabilidade compartilhada, e deve resultar no alcance das metas de acréscimo na recuperação das embalagens pós-consumo da fração seca em 20%, ou a redução de no mínimo 22% das embalagens dispostas em aterro, até 2018, conforme estabelecido no Acordo Setorial.

Para adaptar as metas de redução em 22% de embalagens dispostas em aterros e acréscimo na taxa de recuperação da fração seca em 20%, foram feitos alguns recortes importantes, como a definição das metas considerando os materiais - papel, plástico e alumínio - pelos quais responde a Coalizão Embalagens, tendo em vista que os dados disponibilizados pelas empresas recicladoras integrantes do acordo setorial contemplam somente estes setores. Os dados referentes aos setores de aço e vidro não se encontram disponíveis, pois não assinaram o acordo. Desta forma, as metas passam para 13,3% de redução e 19,8% de recuperação.

Conforme os resultados apurados na Fase 1 (2012 a 2017), e considerando que não houve crescimento na geração e com aumento na recuperação, o volume de embalagens dispostas em aterro reduziu 21,3% e a taxa de recuperação de materiais, na fração seca, aumentou em 29%.

Detalhes podem ser acessados no documento - Relatório Final Fase 1 - Acompanhamento das metas do Acordo Setorial para Logística Reversa de Embalagens em Geral - Anexo N, p. 116